Logo IFRJ

Regulamento da Assistência Estudantil é pauta de reunião entre alunos e assistentes sociais

Assistentes sociais do IFRJ se reuniram na última quarta-feira, 20/08, para discutir a revisão do regulamento da assistência estudantil do Instituto. Esse documento tem a função de expor sobre os objetivos, as diretrizes, o desenho das ações para permanência aos alunos e quais programas serão implementados.

Estavam presentes: Cristiane Henriques, pró-reitora de Extensão do IFRJ; Marisa Fontes e Jane Silva, da Diretoria de Assistência Estudantil (DAE); Gleyce Figueiredo e Rita de Cássia Rissi, de São Gonçalo; Bruna Barboza Galdencio, do campus São João de Meriti; Raquel Trindade, do campus Belford Roxo; Aline Cardoso, do campus Resende; Ana Paula Ferreira, do campus Rio de Janeiro; Aline Abreu, de Niterói; Leonardo da Luz, de Duque de Caxias; além das representantes de Paracambi, Pinheiral, Engenheiro Paulo de Frontin e Volta Redonda, que participaram por chamada de vídeo.

Cristiane Henriques iniciou a reunião abordando a questão do módulo de assistência estudantil no novo Sistema Integrado de Gestão, discutindo a possibilidade de um um sistema que otimize os processos de seleção de estudantes e produção de indicadores da política de assistência estudantil. “Temos a consciência de que nos campi conseguimos ver os gargalos do funcionamento do sistema, as experiências que cada campus vivencia. Na reitoria não temos essa possibilidade, pois não estamos no dia a dia”, explicou.

Durante o encontro foram discutidos os pontos mais necessários, as adaptações e as dificuldades da criação do regulamento. Cristiane falou a respeito dos principais desafios desse processo. “As maiores dificuldades estão relacionadas com o fato de conseguirmos compilar e atualizar todas as normas e leis, sem perder as características que são bem diversas dentro de um instituto federal. Além de atender às especificidades de cada aluno, sem excluir as condições de cotidiano”, concluiu.

Gleyce Figueiredo falou a respeito dos cotistas e sua relação com os processos de inscrições, destacando as dificuldades que encontram em auxiliar neste fluxo. Além disso, frisou a importância da política de assistência estudantil. “Parece que é algo dissociado do ensino, quando, na verdade, é complementar”, destacou.

A expectativa para a próxima reunião, que está marcada para o dia 03/09, é buscar o que pode ser utilizado no texto introdutório do regulamento.

Conversa com alunos – Na parte da tarde alguns estudantes se juntaram às assistentes para debater as formas de participação dos alunos na comissão que revisará o regulamento. “Fazer a revisão de um regulamento que trata do acesso e permanência dos estudantes só faz sentido se pudermos ouvi-los, acolher as suas narrativas sobre as dificuldades de permanecer no IFRJ e, a partir do reconhecimento das necessidades, construir políticas institucionais”, afirmou Gleyce Figueiredo.

A equipe de assistência propôs aos discentes a criação de uma comissão, com agrupamento de forma regional. A proposta é uma composição com 7 representantes titulares e 7 suplentes. Os jovens deverão entrar em consenso e enviar uma decisão até o dia 31 de agosto.

ASSUNTOS

SERVIÇOS

REDES SOCIAIS

NAVEGAÇÃO